[Resenha] Cartas Estranhas para Amores Inventados - Carol Martins

em 27 março 2020



Título: Cartas Estranhas para Amores Inventados
Autor (a):  Carol Martins
Páginas: 86
Ano: 2019
Editora: Chiado Books

Sinopse
Para escrever poesia há de se ter coragem. É mais revelador do que a nudez, bem mais do que uma carta.
Publicá-los é tão assustador quanto deixar um diário aberto à visitação alheia. As metáforas não disfarçam os segredos expostos, pelo contrário, grifam com canetas neons detalhes das mentiras ditas, dos escapes amorosos, das mágoas, rancores, desejos proibidos, fome, sede, morte e vinganças. Por isso a poesia alivia, alivia a quem a escreve e aos leitores que nela se identificam. Mas, reafirmo, há de se ser corajoso, publicar poesia.
A língua portuguesa é a mais eficiente e bela ferramenta poética. Já somos poetas por sermos ninados desde o início com essa canção que repete sentimentos tão misteriosos: distâncias que nós sabemos descrever como ninguém.
Carol Martins é corajosa e sabe usar a língua materna. Seus poemas insones, descrições de desejos que a atormentam e que poucas vezes parecem ser alcançados, conduzem o leitor a uma trama que vai além dos versos.
Essa é uma das belezas da estrutura, ela nos permite criar personagens que vagam de um poema para outro, nos dá a chance de elaborar histórias nas entrelinhas desse emaranhado de confissões “mal disfarçadas”.
Há erotismo nesta obra, mas isso, recomendo, não deve seduzir o leitor a fáceis conclusões. O profano distrai o resto, e ele é enorme.
Neste primeiro livro publicado, a autora demonstra vigor. Espero que a intumescência que possa vir a causar nos mais delicados a palavras sacanas não os façam temer mais e mais releituras dessas escancaradas declarações de liberdade.



Resenha

Cartas Estranhas Para Amores Inventados é o primeiro livro publicado da Carol Martins e lançado pela Chiado Books. Recebi o livro enviado pela editora e não pensei que as poucas páginas fossem me trazer uma grata surpresa recheada de textos intensos que transbordam sentimentos.

"Dar sentido ao passado
Não temer o presente
Sucumbir ao futuro"

Acredito que ler poesia seja uma forma de vermos a alma do escritor, em Cartas Estanhas para Amores Inventados conseguimos enxergar a alma da autora escancarada através de suas palavras. O livro é um compilado de textos em forma de poesias e cartas escritas pela autora ao longo dos anos e de suas experiências. Declarações para seus amores e paixões.

É quase impossível, em meio a tantos textos, não nos identificarmos com algum. Todos nós já tivemos um desses amores "inventados" que se doam ou que faz com que nos doemos de corpo e alma; que nos arrebata; nos decepcionam ou que saem de nossas vidas da mesma forma que entraram..., amores e paixões que  nos marcam. E mesmo que o leitor não tenha nenhuma experiência para se identificar, a leitura dos textos, por si só, se torna marcante. 

"Ela diz que não se apaixona por ninguém...
e me olha com os olhos de ontem,
como quem tem medo e espera,
urgência e pausa.
Faz isso grudada em meu corpo em forma de alma,
com defesas que se despedaçam
ao primeiro sinal de cumplicidade,
numa obscenidade disfarçada de sentimentos."

A edição da Chiado Books é muito linda. É um livro de poucas páginas, bem diagramado e com uma capa simples que eu adorei logo de cara. Todos os textos são intitulados e além das poesias e cartas, temos algumas imagens que acredito serem dos rabiscos originais da autora, algumas inclusive com datas e horários.

Para os amantes de poesias, recomendo a leitura de Cartas Estanhas para Amores Inventados, um livro cheio de intensidade que transborda sentimentos em suas páginas.

LEIA MAIS

[Resenha] Sem beijo e sem palavras - Carlos Gomes

em 24 março 2020


Título: Sem beijo e sem palavras
Autor (a): Carlos Gomes
Páginas: 344
Ano: 2019
Editora: Chiado Books

Sinopse
Ambientado na cidade do Rio de Janeiro, o romance “Sem beijo e sem palavras” tem ritmo de uma série e conteúdo de um folhetim, no que diz respeito à agilidade da narrativa e ao desenvolvimento do enredo. Permeia o cotidiano de personagens reais, com suas referências de afetividade e desígnios, que vão se cruzando, e envolvendo, até estarem todos ligados, de alguma forma, numa realidade ficcional.
A partir dos protagonistas Anna e Otávio, e das suas tormentosas experiências de abusos sexuais, o autor concebe as bases de uma proposta de superação existencial, desconstruindo carências, pudores e ciúmes, e propondo suas redescobertas pela via da liberdade individual – física e comportamental, aliada a um amor incondicional, um pelo outro.
Entretanto, como numa brincadeira de roda, a vida inverte, de súbito, a direção do giro, e os personagens principais são surpreendidos e confrontados por suas histórias, em um final tocante e inesperado.



Resenha

Sem beijo e sem palavras foi um livro que me deixou curiosa assim que li a sinopse, principalmente por abordar um tema tão forte quanto o abuso sexual. Não criei grandes expectativas e fui surpreendida positivamente com a grandiosidade da obra e a forma como o tema foi abordado.
E, desde já, deixo claro que a leitura do livro pode acionar gatilhos emocionais para algumas pessoas.

Logo de cara temos uma apresentação do livro e descobrimos por meio da Dra. Hercília que a trama é baseada em um compilado de suas anotações, sobre dois de seus pacientes, cedido por ela ao autor para criar essa grande obra ficcional.

Anna vem de família simples, criada apenas pela mãe que precisa lutar bastante para não lhe deixar nada faltar. No auge da sua sexualidade, explorando e descobrindo os prazeres do corpo, acaba passando por uma experiência aflitiva. 
Otávio (Tatá como gosta de ser chamado) vem de família rica, sempre teve tudo ao seu alcance, mas carrega consigo uma grande marca tenebrosa criada pelo pai. Ambos possaram por experiências dolorosas, mas ao se conhecerem passam a vivenciar um amor incondicional.


Sabemos que vítimas de abusos sexuais ficam com marcas permanentes e muitas vezes sentem dificuldade de voltar a se relacionar com outras pessoas, achei que o autor fosse seguir por esse caminho e trazer um relacionamento conturbado entre Anna e Otávio. Porém fui surpreendida, e gostei bastante da forma como o autor criou e desenvolveu o relacionamento do casal, ambos respeitando a individualidade um do outro, com a sensação de pertencimento sem a ideia obsessiva de possessividade. Eles vivenciam seus desejos de forma livre, sem amarras e sem pudores.
A sexualidade dos personagens são exploradas durante todo o desenvolvimento do livro, temos algumas cenas de sexo que nos envolve, sem exageros, sem vulgaridade e que são dentro do contexto.

O autor possui uma escrita fluida e soube conduzir muito bem o enredo, abordando um tema pesado de uma forma que a leitura não ficasse intragável, mas sim envolvente. Uma trama forte, com um assunto que, infelizmente, é a realidade vivenciada por algumas crianças e adolescentes.

"E, assim seguiram: ela pensando que satisfazia ás idiossincrasias dele, mas, de fato, ele só cuidava de incensar sua liberdade para que se sentisse plena e feliz."

Terminei a leitura e, ainda assim, todos os sentimentos permaneceram enraizados em mim, me fazendo refletir bastante sobre a complexidade do psicológico do ser humano. Me senti bastante impactada com as revelações finais e o desfecho inesperado do livro.

Sem beijos e sem palavras é um livro intenso que traz em seu enredo personagens complexos, abordando questões intrigantes, indo além de um livro que fala sobre abuso sexual e bem mais além de um simples romance. Uma história que mistura sexualidade, desejos, realidade e abrange o psicológico. 


LEIA MAIS

[Resenha] Os Ovos Azuis da Serpente - Roberto Marcos

em 19 março 2020


Título: Os Ovos Azuis da Serpente
Autor (a): Roberto Marcos
Páginas: 518
Ano: 2017

Sinopse
Já parou para pensar como seria se almas inimigas habitassem um só corpo ao mesmo tempo?Em busca da resposta para esta questão, o leitor encontrará uma senha pelos caminhos conflitantes do relato que tem em mãos: Os Ovos Azuis da Serpente. Como num jogo de espelhos, esta novela apoia-se em acidentes emocionais para atestar que a vida segue sendo importante, mesmo quando parece totalmente injustificável.Será necessário que, de posse deste livro, o leitor desenovele um grande segredo para que o enredo mostre todas as suas possibilidades. Portanto, fique atento aos detalhes, sobretudo, aos que, à primeira vista, pareçam desimportantes e dispensáveis. Neles, podem estar a chave e o código para uma verdade que você, talvez,não consiga tolerar.


Resenha


Em Os Ovos Azuis da Serpente conhecemos os 4 moradores do condomínio Parque dos Pardais, uma construção antiga que possui seis andares, sendo que apenas quatro deles são ocupados por nossos protagonistas: A caçadora de prazeres, a aprendiz de bruxaria, o quase morto ou quase vivo e o fazedor de dinheiro. Esses moradores não são nada receptivos, não falam com ninguém e não gostam de serem incomodados.

É no apartamento 300 que encontramos Bella Flor (A caçadora de prazeres), uma mulher que se entrega aos prazeres da carne e só é vista à noite nas ruas, despertando comentários maldosos dos vizinhos.

No apartamento 400 temos Bizet (A aprendiz de bruxaria), coberta de preto dos pés à cabeça e andando sempre nas sombras, herdou um grande conhecimento da avó sobre como manipular plantas e ervas para fazer poções poderosas.

Subindo para o apartamento 500 encontramos Bento (O quase morto ou quase vivo), recluso e nunca visto fora do seu apartamento, vivendo como um fantasma, sem sinal de qualquer movimentacão sua.

No último, mas não mesmos importante, andar, encontramos Benjamin (O fazedor de dinheiro). Homem rico que não dá brecha para nenhum tipo de envolvimento íntimo, nosso morador do apartamento 600 ganhou e mantêm sua fortuna através do desespero alheio, fazendo empréstimos à juros altíssimos.


Quatro moradores protagonizando uma trama que a princípio parece despretensiosa, sem muita emoção, mas todos possuem um segredo em seu passado, mantendo  que vai sendo revelado sutilmente e que nos surpreende.

Personagens que aparentam não possuir nada em comum, mas que no decorrer da leitura vamos notando uma ligação que vai além do fato de morarem no mesmo condomínio e não querer nenhum tipo de contato uns com os outros.


A ambientação é um ponto positivo da obra, o condomínio Parque dos Pardais fica na cidade de Santa Clara dos Cristais, mas a maior parte da narrativa acontece em Ribeirão das onças, um pequeno interior de Minas Gerais, onde nossos personagens viveu a infância e a adolescência. O fato do autor ter uma escrita rica em detalhes, nos permite ter uma clara visão desse interiorzinho, com seus rios e fazendas, que traz muitas lembranças dolorosas para os quatro protagonistas e consequentemente revelações surpreendentes para nós, leitores.

"A sensação de melancolia que se espalhou pelo casario, serviu para lembrar que o tempo é quase sempre um impiedoso ditador, e que a vida, gostemos ou não, incumbe-se de colecionar os seus caprichos."

O autor nos conduz, com uma narrativa detalhada, pelos acontecimentos do passado dos personagens, descortinando informações fundamentais para o entendimento do isolamento de todos e, principalmente, do desfecho da trama. Com sua escrita envolvente, Roberto Marcos nos traz uma história com poucos diálogos, abordando assuntos dolorosos e fortes que não deixam de ser realidade no seio de algumas famílias.


Só tenho que recomendar Os Ovos Azuis da Serpente para aqueles que gostam de livros bem desenvolvidos, com escrita detalhada e final surpreendente, sem pontas soltas.

LEIA MAIS

[Lidos e Assistidos do Mês] Fevereiro/2020

em 10 março 2020

Olá, gente! Tubem com vocês?

Mês passado com o feriado e tudo mais, não tive muito tempo para atualizar o blog, mas prometo compensar esse mês.
Hoje venho trazer o saldo do mês de livros lidos, séries e filmes assistidos no mês de fevereiro.

Confiram!



Leituras:

  • Eleanor & Park
  • Sem beijo e sem palavras
  • Um sobre infinito
  • Os Ovos Azuis da Serpente
  • Cartas estranhas para amores inventados

Séries:

  • Não Fale com Estranhos
  • Ragnarok
  • Friends: Temporada 1 á 10
  • Diablero: Temporada 1 e 2
  • I Am Not Okay With This
  • Glitch: Temporada 1 á 3
  • Sempre Bruxa: Temporada 2


Filmes:
  • Para todos os garotos: P.S. ainda amo você
  • Entre Realidades
  • O Estranho Noivo de Maya
  • Isi & Ossi
  • Por Lugares Incríveis



Já conferiram algum desses?
Me conta como foi o mês de vocês.

Até mais!
LEIA MAIS

[Resenha] Travessuras da minha menina má (Vol. l) - Otávio Bravo

em 06 março 2020


Título: Travessuras da 'minha' menina má (Vol. l )
Autor (a): Otávio Bravo
Páginas: 358
Ano: 2018
Editora: Chiado

Sinopse

Na primeira parte do seu relato, antes da entrada da menina má em sua vida, Victor descreve as aventuras da sua juventude, em meio ao frenético Rio de Janeiro do final dos anos 80: as descobertas da adolescência, a idolatria pelo irmão mais novo, Caíque, o primeiro amor, Marcella, as escolhas profissionais, a partida para Cambridge e as perdas terríveis que é obrigado a enfrentar.


Resenha

Travessuras da minha menina má é uma trilogia escrita por Otávio Bravo. Nesse primeiro volume temos uma parte do relato de Victor, nosso protagonista, narrando acontecimentos de sua vida antes da chegada de Maria Eduarda, sua menina má.

No Rio de Janeiro, final da década de 80, acompanhamos a passagem de Victor da adolescência para a vida adulta. Sendo o segundo de três filhos, de uma família de classe média alta: o mais velho possui uma mente brilhante e o mais novo uma impetuosidade e coragem sem fim. Victor não se parece com nenhum dos dois irmãos e não se valoriza muito, mas possui uma grande idolatria pelo mais novo, Caíque.

Nessa primeira parte do relato o Victor ainda não conhece Maria Eduarda, a menina má, mas no decorrer da leitura vemos relatos do início de sua vida e família. O foco é o desenvolvimento de Victor e seus relacionamentos


Otávio possui uma escrita detalhista, não economizando nas descrições dos fatos, lugares e personagens, podendo tornar a leitura um pouco lenta, de modo que possamos absorver todos os detalhes da narrativa, mas não de uma forma cansativa.

Nos sentimos transportados para o Rio de Janeiro na década de 80 e posteriormente para Londres, de um jeito que nos faz sentir que realmente vivemos os acontecimentos junto com os personagens, sentido suas alegrias, expectativas, medos e sofrendo suas perdas.

"Era o dia 20 de maio de 1990, e, pela primeira de três vezes na vida, eu desabei em pranto sofrido, fazendo chegar aos olhos as lágrimas da alma em pedaços."

Acompanhar o desenvolvimento e amadurecimento de Victor nesse primeiro volume é fundamental para nos conectarmos com o protagonista a ponto de conhecê-lo muito bem e entender suas decisões. Conhecemos sua primeira namorada, Marcela, o nascimento de sua filha e alguns acontecimentos dolorosos para o nosso protagonista que nos emocionam bastante.

Como disse inicialmente, o livro é um relato inicial da vida do Victor, escrito em primeira pessoa, portanto não espere muitos diálogos durante a leitura, porém a falta deles não torna a experiência menos prazerosa.

Travessuras da minha menina má é um livro com personagens que cativam, com uma boa narrativa que nos transporta para uma outra época e com momentos descontraídos que nos fazem rir e outros que nos emocionam.

Em breve fazer a leitura do segundo livro e trago a resenha.
Até mais!
LEIA MAIS

[Quotes #24] Dom Quixote - Miguel Cervantes

em 10 fevereiro 2020

Olá, gente!

Quem aí conhece o Cavaleiro da Triste Figura, mais conhecido como Dom Quixote de La Mancha? 
O livro é um clássico que narra as aventuras de um fidalgo que decidiu viver como um cavaleiro andante atrás de aventuras com seu fiel escudeiro Sancho Pança. 
Hoje estou trazendo uma seleção de quotes para quem ainda não conhece essas duas grandes figuras ter um gostinho de como é a leitura. 


"Não há livro tão ruim – disse o bacharel – que não tenha algo de bom."

"Senhor, uma andorinha só não faz verão."

"Entre os pecados maiores que os homens cometem, ainda que alguns digam que é a soberba, eu digo que é a falta de agradecimento."

"Mudar o mundo, meu amigo Sancho, não é loucura, não é utopia, é justiça!"

"Quem perde seus bens, perde muito; quem perde um amigo, perde mais; mas quem perde a coragem, perde tudo."

"Quando se sonha sozinho é apenas um sonho. Quando se sonha juntos é o começo da realidade."

“Quanto mais eu, que nu nasci, me encontro nu: nem perco e nem ganho.”

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo."


Até mais!
LEIA MAIS


Topo